ÚLTIMAS RCM

  • Em nome da lei - Deserdar um herdeiro legitimário
  • Banda sonora - City of Angels
  • Alinhavando a nossa história - Estudos naturalistas
  • Gente da Minha Terra - Tolentino Mendonça
  • Hora do Conto - Bola de caracóis
  • Sementes de Fé - Rezar para perder
  • Vozes do Atlântico - António Barbosa
  • Raíz do pensamento - Os amigos
  • Ana Klaudia - a cantar em português
  • Em Nome da Lei - Contratos de adesão
  • Recordar é Viver - Avô João
  • Ilha da Fantasia - Lenda dos Profetas
  • Contado não há quem acredite - Homem participa nas próprias buscas
  • Hora do Conto - O senhor Mago e a folha
  • Sementes de Fé - Humildade
  • DATE 10/07/2021

"Há pecados terríveis. Quantos assassinatos. Quanta corrupção. Às vezes, penso que há coisas que me parecem imperdoáveis. Como perdoar o assassino de um ente querido? Ou a infidelidade de alguém que eu amo? Para mim parece impossível.

Para o homem é impossível, é verdade. Mas não para Deus. Eu carrego ofensas que não consegui perdoar. Elas parecem imperdoáveis. Em algumas ocasiões, isso acontece pela magnitude da ofensa, pelo dano alto.

Outras vezes, pela atitude de quem me ofendeu uma ou mil vezes e acha que fez bem. Nunca se arrepende, nunca pede perdão. Essa atitude, para mim, é imperdoável.

Porém, creio que o problema é mais meu que daquele que me ofendeu. Guardo rancores na alma por ofensas que, talvez, quem me ofendeu já tenha esquecido. Ou nunca soube. Não é consciente do que eu guardo na lembrança. Eu mantenho minha postura. Não perdoo. Não é justo. "

Lido 448 vezes Última alteração em Sábado, 10 Julho 2021 22:25
Tagged under:

Artigos relacionados

Visitantes

12379349
Hoje2618

O Cantinho da Madeira nasceu no ano 2006 com o objetivo de promover a Região Autónoma da Madeira, em especial junto da comunidade portuguesa no mundo.

Descarregue as nossas APP´s
para iOS e Android

Top
Aviso! Este site utiliza cookies para melhorar e personalizar a navegação dos utilizadores. More details…